• ENG PORT

STELLA CANOPY

STELLA MISTURA PLURALIDADE DA GASTRONOMIA PAULISTANA COM CONTEMPORANEIDADE

O restaurante exalta a cultura paulistana, com ingredientes cheios de brasilidade e responsabilidade ao meio ambiente.

Uma São Paulo de diversas culturas. Este é o Stella, restaurante abrigado no recém-inaugurado Canopy da rede Hilton, que é comandado pelo chef David Kasparian. É no amplo salão, permeado por janelas de baixo a cima, que David – que já foi finalista do prêmio Bocuse D’Or e teve passagem pelo restaurante Netto do Four Seasons – mostra seu menu mais inventivo, repleto de sabores e brasilidades. “Eu defino a cozinha do Stella como uma mistura das diferentes imigrações que São Paulo recebeu, porém com contemporaneidade”, explica o chef. Ainda segundo ele, a ideia é contar a história de todos os imigrantes que fizeram a cidade rica de culturas, sabores. “Eu mesmo sou essa mistura, reflete a minha história: tenho uma descendência portuguesa, armênia, alemã. Nunca chefiei um restaurante que se parecesse tanto comigo”, diz. 

Essa pluralidade é logo percebida quando o couvert chega à mesa: pão de fermentação natural com cúrcuma da Mug, acompanhado pela manteiga da Fazenda Atalaia e flor de sal (R$ 18), servido no bowl desenhado em exclusividade pela ceramista Kimi Nii. “A escolha das peças de cerâmicas da Kimi foi mais uma forma de mostrar essa mistura que São Paulo é”, completa David. O conceito continua nas entradas: o Carpaccio de Filé Mignon, misso de Feijão Preto, cebolinha e pão tostado (R$ 35). “Essa entrada é um exemplo da homogeneidade do menu: o missô, fermentado típico japonês feito a base de soja, é feito aqui com feijão preto. Foram semanas de testes até que ele ficasse perfeito para combinar com o filé mignon”, diz o chef. Outras entradas merecem destaque: Abóbora Torrada com mel, queijo boursin, amêndoas e salada de catalônia ao molho ravigote (R$ 38) e a Salada Verde, Vinagrete de jabuticaba, castanha de baru e gorgonzola (R$ 33). 

Já para os pratos principais, David criou receitas diversificadas, com uma pontinha de Itália – ele trabalhou em diversos restaurantes italianos – mas que ainda assim deixa evidente a cultura paulista, que também abriga a gastronomia de outros estados. Isso fica bem evidente quando a chega à mesa a Barriga de Porco, cozida em baixa temperatura, feijões de Santarém, couve e chutney de banana (R$ 79). Outros dois pratos roubam a cena do cardápio: Couve-Flor tostada, gateau de mandioca, stracciatella, bottarga e salsa (R$ 55) e o prato vegano feito de Gnocchi de mandioca, creme de berinjela defumada, molho de tomate e ricota de castanha do pará (R$ 55). Há também o Confit de Pato com Tucupi de mandioquinha, polenta branca e flor de jambu (R$ 95) e o Mexilhão infusionado em cachaça envelhecida em amburana e fritas (R$ 80). 

Para finalizar a refeição, enche os olhos o Arroz Doce com abacaxi, canela e formiga saúva-limão (R$ 25) e a Banana Flambada com cointreau, molho de laranja e sorvete de baunilha (R$ 28). 

O menu, além de diverso, também tem uma preocupação sustentável: o número de ingredientes importados é mínimo, e a busca é sempre por produtores pequenos, locais e orgânicos. “Foi uma busca – e ainda é – por produtores que tivessem uma preocupação com o meio ambiente, como a exploração da natureza. Sazonalmente servirmos um Bife Ancho que é de gado criado free-range, mas o nosso foco é servir o mínimo de carne possível e dar opções inventivas para isso”, complementa David. 

Bar Stella

No meio do enorme salão, fica o imponente bar Stella, que também tem a mesma premissa do restaurante: ressaltar ingredientes dos biomas brasileiros. Quem está por trás da barra é o bartender Jeff Sillvestre, que está no ramo há quase 20 anos. Um bom exemplo? O Amazon on Fire – cachaça, bitter de cacau e redução açaí (R$ 35). “A composição é simples, mas o sabor que ele emprega é bastante complexo. Finalizamos com farinha de tapioca que remete a forma que se come açaí no norte do Brasil”, explica Jeff. Há outros drinques imperdíveis como o Negroni Evolution – gin infusionado com abacaxi, campari, vermute e moscatel (R$ 43); Umbu Whisky Sour – uísque, suco de limão e xarope de umbu (R$ 43); Tucupi is a New Blood – gin, tucupi, jambu chilli, tajin pepper e tintura de flor de jambu (R$ 35), entre outros. Saem também do bar diversas receitas de drinques não alcoólicos. Basta pedir a indicação do dia. 

Restaurante Stella

Rua Saint Hilarie, 40 – Jardins, São Paulo

Tel: (11) 3509-9610

@stella.jardins

Horário de funcionamento: Domingo a sexta, das 12h às 15h e das 18h às 12h.

Sábado, das 12h às 16h e das 18h às 21h

whats app